Tema novo pro site, quer fazer parte da loucura?

Bibiana Blogs & WordPress 0 Comentários

O tempo estimado de leitura é de 6 minutos

Quando publiquei o bergamotadesign.com pela primeira vez, sabia que aquele tema não era O Tema. Não me entende mal, era um tema legal, bem desenhado, bem resolvido, mas não rolava química, sabe? Era, basicamente, um Guy da vida. Mas, fiquei com ele porque tinha urgência de colocar a Bergamota no mundo, e assim teria tempo pra encontrar aquele que seria O Tema.

Pois bem, passou meio ano, e não achei O Tema. Achei vários possíveis, alguns flertes, algumas trocas de olhares, mas nada que fizesse o coraçãozinho bater mais rápido. Então, em típica maneira Bibiana, resolvi aprender – de uma vez por todas – a desenvolver tema do WordPress. E resolvi compartilhar contigo a loucura que são os milhares de detalhes a serem decididos.

Outra razão pra compartilhar esse processo contigo é mostrar o quanto de trabalho um projeto desses demanda e o quanto de tempo leva. Sem contar os cabelos arrancados… Design é pura glamour baby… 

Tema novo pro site, quer fazer parte da loucura? | bergamotadesign.com Estou desenvolvendo o novo tema do bergamotadesign.com, e resolvi compartilhar contigo a loucura que são os milhares de detalhes a serem decididos. Vem?

Por que loucura?

Bom, qualquer projeto de design é, por natureza, longo. Pra não dizer demorado. Intricado. Não só são milhares de detalhes, mas também é preciso tempo. Na metodologia do design a gente chama esse tempo de período de encubação, que serve pra – basicamente – bota ordem nas ideias. Por ser longo e demorado, um projeto desses é, costumeiramente, feito à sete chaves, no escuro, sem ninguém ver. Um dia, aparece aquele tema novo maravilhoso que deixa todo mundo babando, assim, num passe de mágica.

Desenvolver tema de WordPress é daquelas coisas que parecem fáceis – à primeira vista. Depois das primeiras três horas tentando acertar a porcaria do espaçamento do item tal, a vontade de defenestrar o computador aumenta exponencialmente. Pior ainda é quando tu descobre o problema, que tava na tua cara mas o cansaço não permitiu ver. Há anos tento fazer um tema do zero, sem sucesso. É culpa minha, falta paciência pra ler os milhares de dados conflitantes que estão na rede. Mas resolvi que de agora não passa.

Segundo, loucura porque tempo é uma coisa que não sobra  por aqui. Não tô reclamando, só fico pensando onde deixei a cabeça pra inventar de colocar mais uma coisa na minha lista já quilométrica de coisas a fazer. Sem contar nas outras milhares de coisas que nem chegam na lista…

Mas, porém, contudo, todavia… Vamos ao tal do tema! Afinal, quem precisa de um domingo de folga?

Referências pro tema

Siga o painel Bergamota de Bergamota no Pinterest.

A primeira coisa a fazer quando desenvolvendo um tema do WordPress é ter referências. Isso vale não só pra tema, como pra qualquer projeto de design. Saber o que tu quer, e ter uma ideia de pra onde tu vai. Minha maneira preferida de coletar referências é um board do Pinterest. Estou há tempos coletando referências pra Bergamota, sabendo que um dia teria que achar um tema novo.

Há dois tipos de referência necessárias pra desenvolver um tema: as referências estéticas – cores, padrões, gráficos, fontes – e referências estruturais, ou de layout – a navegação, a distribuição dos elementos, barra lateral ou barra de rodapé, onde vão os ícones sociais… E o pior de tudo é que não tem fórmula pra escolher nada. Tudo depende do projeto, do que é necessário, do que o cliente quer… E quando o cliente é tu, a dor de cabeça é 10 mil vezes maior.

Referências estéticas pro tema

No começo tava meio perdida, não tinha ideia do que queria, pra onde ir, etc. Na verdade, essa é a história da identidade da Bergamota: um longo processo que nunca termina – casa de ferreiro, espeto de pau inexistente, tendeu? Incrível como consigo ter uma clareza enorme pra projetos alheios, mas pros meus… {trilha sonora de grilos no silêncio…}

Então, no começo do projeto estava indo em direção à cores, com o laranja no centro. Por um tempo usei uma paleta de cores bem simples: o laranja, um azul contrastante, preto e branco, sempre em áreas chapadas {não pensa besteira, área chapada é aquela sólida, sem textura}. Cheguei a flertar com uma terceira cor, mas nunca consegui fazer funcionar. Mas, assim como o tema, segui usando essa paleta enquanto não achava nada melhor.

via Guia para Decorar | bergamotadesign.com

Tô adorando esses padrões gráficos e cores fortes. Guia para decorar

Uma coisa que tem me chamado bastante atenção há um tempo já são os padrões gráficos, de alto contraste. Gosto também das cores fortes, saturadas. E, como a Bergamota sou eu, sua identidade deve refletir meus gostos, portanto…

Tenho que achar um jeito de fazer isso funcionar, junto com o conceito de brilhar da marca {identidade pra brilhar}. Mamão com açúcar, mel na chupeta, facinho…

 

Esteticamente, tô flertando com várias coisas, experimentando, e vendo o que fica e o que não vai. As opções são muitas, e isso é só pra gráficos! Ainda tem que escolher as cores, os ícones, e o mais importante – e mais difícil – o layout – que também precisa de referências.

Referências estruturais pro tema

Um tema filho é um tema que herda as funcionalidades e estilos de outro tema, chamado de tema pai. Os temas filhos são a forma recomendada de modifica um tema existente.
Codex WordPress

A primeira coisa, a que tenho certeza, é que não quero barra lateral. Quero um layout no estilo Medium, onde a ênfase está no conteúdo, sem aquele monte de coisa enchendo a tela e confundindo o leitor. Pra isso, encontrei o Resonar, um tema bem legal, que tá servindo de tema pai.

Deixa eu explicar: ao invés de desenvolver um tema completamente do zero, o que é demais pra minha cabeça no momento, estou desenvolvendo um tema filho, que nomeei Mirtilo. O que acontece é, uso a estrutura inicial do Resonar, e faço as alterações que quiser no Mirtilo, sem correr o risco de perder todo o trabalho quando o Resonar for atualizado.

E no lugar de uma barra lateral, quero uma barra de rodapé, onde colocarei os widgets. Mas, serão poucos widgets, já que a ideia é dar ênfase ao conteúdo. Pra isso, preciso descobrir maneiras de incorporar ao corpo do site o conteúdo que geralmente vai na barra lateral, como o menu das redes sociais, o formulário de newsletter, etc. E descobrir onde e como colocar os menus – e quantos vão ser. E mais um monte de detalhes.

Ou seja

Durante as próximas semanas, é possível que tu chegue aqui e não reconheça o lugar. Se gostar, que bom! Se não, sou toda ouvidos. Toda opinião é válida nessas horas, especialmente quando a criatura é indecisa {quem, eu? Imagina!!!}

No mínimo, tu vai ter uma ideia do que é o meu processo de design. Me acompanha?

Ah, e pra aumentar a loucura, vou compartilhar as dores do parto com a #TemaNovoBergamota. Afinal, o que é um mico público a mais pra quem já é experiente? Ai que já tá doendo…

#TemaNovoBergamota

Quem ama, compartilha 😉
Quem escreveu

Bibiana

Facebook

Diva mor na Bergamota Design. Designer por formação. Mestranda por opção. Curiosa incurável. Stand up comic nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *