WordPress.org vs .com: explicando a diferença

Bibiana Blogs & WordPress 0 Comentários

O tempo estimado de leitura é de 7 minutos

WordPress é um CMS. É FOSS. .org é a versão gratuita, .com é versão paga. .org é down’n’dirty, tu mesmo instala e mantém, .com é streamlined, tu paga e não tem dor de cabeça. .org é WordPress aberto, tu faz o que quiser, pinta e borda à vontade, .com é WordPress recatado, tu só faz o que te deixam – e se tu pagar pelos “plus a mais”.

Quê? Cuma? Explica essa coisa toda, fazfavor?!

Começando do começo, deixa eu explicar essas siglas malucas. Depois entro nos detalhes da confusão .org e .com. Ok? Ok! 

WordPress.org vs .com: explicando a diferença | bergamotadesign.com Explicando a diferença entre o WordPress.org e o WordPress.com, e algumas outras dúvidas associadas à melhor invenção desde o Photoshop e a cola quente.

CMS

Content Management System, ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. De acordo com a Wikipédia, CMS é um

aplicativo usado para criar, editar, gerenciar e publicar conteúdo de forma consistentemente organizada permitindo que o mesmo seja modificado, removido e adicionado com facilidade.
 Wikipedia

CMSs são usados pra amazenar, controlar, e publicar notícias, artigos, e quaisquer outros documentos. O conteúdo pode ser qualquer coisa acessível via rede, como arquivos de computador, imagens, áudios, vídeos, documentos eletrônicos… Basicamente, é o que tu usa pra botar ordem na casa.

Antes dos CMSs existirem, publicar e manter um site era uma dor de cabeça daquelas impossíveis de manejar, de pedir penico e se esconder num canto escuro até passar, possivelmente chorando um pouquinho. Ah, e precisava saber um monte de coisa técnica que muda à velocidade da luz. Porque, né, internet.

Mas, com CMSs, tudo ficou mais fácil. Tu não precisa programar página por página, não precisa saber HTML, CSS, PHP, e um monte de outras linguagens que deixam Klingon no chinelo {vida longa e próspera, btw}.

HTML, CSS, PHP

As três são linguagens de programação, que permitem criar conteúdo pra acesso por computadores e dispositivos móveis. HTML é uma linguagem de marcação usada na criação de conteúdo estático. CSS é uma linguagem de folhas de estilo que define a apresentação do conteúdo. E PHP é uma linguagem interpretada, que depende de outro software pra ser atualizada, e é usada na criação de conteúdo dinâmico.

De novo: Quê? Cuma? Explica essa coisa toda, fazfavor?!

O WordPress usa as três linguagens, concomitantemente, pra criar, definir, e apresentar o conteúdo que tu cria. Teus posts, tuas mídias, tuas páginas, etc. Vou explicar – de maneira bem rápida, sucinta, e rasa! – o que são os três, só pra ti não ficar à deriva nesse oceano {haha, deriva, oceano, internet, navegar, sacou? Não? 🙁 }.

HTML

HTML é a linguagem que constrói o conteúdo, que diz o que é o que, como e onde vai ser apresentado. São as famosas tags que a gente vê no editor do tema do WordPress – e que a gente não mexe sob pena de perder todo o tema e virar tudo uma bagunça.

CSS

CSS é a folha de estilos em cascata. Ela funciona de maneira hierárquica inversa, ou seja, o que vier por último é o que vale. O dever dela é definir a apresentação do conteúdo marcado com o HTML, ou seja, deixar tudo bonitinho da maneira mais rápida e fácil – de fazer e de mudar também. É aquele styles.css que a gente vê no editor do tema, que parece uma coisa muito estranha, e que a gente não mexe sob pena de perder blablabla…

PHP

Quanto ao PHP, o importante pra gente é que ele faz o conteúdo ser dinâmico. Isso quer dizer que: existe um banco de dados, que guarda todo o conteúdo em pequenos pedaços -no caso do WordPress, um cabeçalho, um rodapé, uma barra lateral, páginas e posts e outras coisas mais. E, quando tu acessa o site pelo navegador, o CMS – nesse caso, o WordPress -, através do PHP, junta todos os pedaços necessários pra apresentar o conteúdo que tu pediu. E o WordPress identifica o conteúdo que tu pediu pelo endereço que tu digitou no navegador. Deu pra entender?

FOSS

Free Open Source Software, ou Software Livre e de Código Aberto. De acordo, de novo, com a Wikipédia, FOSS é

um software que é duplamente livre e de código aberto. Ele é livremente licenciado para conceder a usuários o direito de uso, cópia, estudo, mudança e melhoria em seu design através da disponibilidade de seu código fonte.
 Wikipedia

Software livre e software de código aberto não são exatamente a mesma coisa. São dois modelos de desenvolvimento de software, que partem de duas filosofias distintas, e têm metodologias de distribuição particulares.

O partido software livre acredita na liberdade fundamental propiciada a seus usuários; a liberdade de usar como, onde, e quando quiser. Ou seja, a licença de software livre trata do uso e da filosofia associada. Já a licença de código aberto foca no desenvolvimento continuado do programa, e é de natureza técnica. A ideia é que o código aberto pode ser consultado, examinado, ou modificado, e seu desenvolvimento se dá em comunidades.  Wikipedia

E como isso se aplica ao WordPress? Bom, ele é software livre no sentido de que seu uso não só é gratuito, mas também é livre pra uso como, onde, e quando o usuário quiser. Por exemplo, poder escolher o serviço de hospedagem a usar. Ele também é de código aberto porque é feito em comunidade, seu código está disponível pra consulta, exame, ou modificação. Por exemplo, os trocentos plugins disponíveis, os temas, e a comunidade que o mantém e melhora.

WordPress.org

Então, o WordPress.org é o QG do projeto, onde tu pode baixar o software, temas, plugins, etc. Também, é aqui que se encontra documentação, fórum de suporte, a comunidade, e o blog – tem também a versão brasileira.

Quando o software é baixado daqui, tu precisa contratar um domínio e um serviço de hospedagem, e fazer a instalação. Por isso down’n’dirty. Não é difícil, mas é um pouco complicado pra iniciantes. Se quiser aprender a fazer essa instalação, recomendo o curso Faça seu site em WordPress, produzido pelas meninas do Negócio de Mulher. Elas explicam, em vídeos e passo-a-passo, como deixar teu site em WP tinindo e pronto pra brilhar. {PS: o link é afiliado, então ganho alguns barões se tu comprar o curso.}

A vantagem de fazer teu site dessa maneira é que tu tem controle absoluto sobre ele. Pode mudar o tema à vontade – usando os disponíveis no WordPress.org, no menu Aparência, ou os comprados em sites de terceiros -, pode usar os plugins que tu quiser, pode trocar de hospedagem se encontrar um serviço melhor… Enfim, é teu.

WordPress.com

Essa é a versão pronta pra uso, ou seja, um serviço de hospedagem que te dá o WP pronto. Tu faz uma conta – gratuita – e, a partir daí, faz quantos sites tu quiser, com um domínio nomedoblog.wordpress.com – também gratuito. Os temas disponíveis são aqueles oferecidos no menu Aparência, sendo que existem opções gratuitas e pagas. E, existem outras limitações, como quantia de dados que tu pode armazenar, o nível de autonomia que tu tem, e outras cositas mas.

Se tu quiser um domínio próprio, tipo nomedoblog.com, tu paga um valor anual, e o domínio é registrado pelo próprio WordPress.com. Se tu quiser controle sobre o teu CSS, tu também paga a mais. Esses pacotes de serviços avançados vivem mudando, e o valor é em dólares. Também, os servidores estão nos EUA.

Basicamente, usar o WordPress.com é aconselhável se tu não quiser dor de cabeça, e não se importar de não ter controle total sobre o teu site. O que, venhamos e convenhamos, não é importante pra todo mundo.

Resumindo

WordPress.org é o QG do projeto WordPress, onde tu tem acesso a suporte, temas, plugins, e à comunidade que desenvolve o bicho. Também, é onde tu vai pra baixar o WordPress se tu quiser ter controle total do teu site e não se importa em trabalhar um pouco mais pra ter exatamente o que tu quer.

WordPress.com é o serviço de hospedagem oferecido pelo WordPress. Seu uso é gratuíto, e tu paga pelos plus a mais que quiser pra ter um controle maior do teu site.

O mais importante a lembrar aqui é que, não importa se tu usa o WordPress autogerido disponível no WordPress.org, ou a versão de hospedagem oferecida no WordPress.com. De qualquer maneira, teu site vai ser gerido pela melhor plataforma de gestão de conteúdo disponível no mercado. E não sou eu que tô dizendo: são vários experts no assunto. Pra ter uma ideia, 25% de todos os sites da rede são gerenciados pelo WordPress. Mas ficamos por aqui com os números, porque isso é assunto pra outra hora.

E aí, consegui explicar a diferença de maneira clara, concisa e coerente? Se não, pega no grito como diz o guasca, e pergunta. Faço o máximo pra tentar responder, prometo.

Quem ama, compartilha 😉
Quem escreveu

Bibiana

Facebook

Diva mor na Bergamota Design. Designer por formação. Mestranda por opção. Curiosa incurável. Stand up comic nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *