Empreendedorismo – a minha história

Bibiana Empreendedorismo & Grupos 0 Comentários

O tempo estimado de leitura é de 11 minutos

Empreendedorismo - a minha história | bergamotadesign.com Em 2012, comecei no empreendedorismo. Dois anos depois me matriculei no Empreenda sua paixão. Melhor decisão que já tomei. Vem fazer parte desta turma!

Em 2012, abri um studio multidisciplinar de tudo e mais um pouco, principalmente fotografia e design. É, não fazia ideia do que era. Sofri, chorei, esperneei… Adianta dois anos, e me matriculei no Empreenda sua paixão. Melhor decisão que já tomei. Basicamente, precisava aprender sobre negócios, empreendedorismo {que na época nem sabia que existia}, mas principalmente, precisava conhecer gente: outras mulheres maravilhosas que conheci, e principalmente a mim mesma. Deixa te contar minha história… 

Sonhos – post originalmente publicado em 05 de junho de 2014

Quando tinha uns 4 anos de idade, minha irmã mais nova declarou em sua língua própria – uma mistura de português, castelhano e catalão adorável – que queria tocar violino. Na época estávamos em Barcelona, nossa mãe não conseguiu encontrar uma escola que aceitasse crianças daquela idade, e as aulas de violino tiveram que esperar. Minha irmã tem hoje 20 anos, é uma violinista super talentosa, e vive seu sonho todos os dias. Nossa, como me orgulho dela! E confesso, sinto um pouquinho de inveja (branca). Não do que ela conquistou – afinal são anos de dedicação e esforço – mas da clareza, da certeza que sempre teve. Sabia o que queria, foi atrás e fez acontecer.

A vida toda fui uma sonhadora. Mas nunca tive um sonho específico, era mais de ter vários sonhos fragmentados. Nunca soube o que queria fazer quando crescer, ou nunca consegui escolher apenas uma coisa.  Mais ou menos como o último menininho nesse vídeo:

Dizem que os 20 anos são a época de explorar o mundo, descobrir coisas novas e testar os limites. Realizar os sonhos. Pra mim não. Saí de casa com 19 anos, casei com 20, me tornei mãe com 21, me separei com 25. Foi uma década conturbada, em que minha maior preocupação foi sobreviver. Foi uma década de luta. Não econômica,  pois felizmente tenho uma família maravilhosa que sempre me apoiou – mas mesmo assim, estudei, trabalhei e me preocupei com dinheiro todos os 3650+ dias, e ainda o faço. Mas sim emocional, interna. Tive que crescer muito rápido, aceitar mudanças, adaptar posicionamentos e crenças, o que nem sempre foi fácil (ha, ainda não é!).

Mas, aqui estou hoje, com 31 anos de idade,  há dois construindo meu sonho, algo que é meu, do qual espero poder me orgulhar. O que é não sei ainda. É um studio, um lugar de criação multidisciplinar. É um amálgama dos sonhos que tive até hoje (alguns simplesmente não eram muito bons, ou foram testados e descartados), das coisas que aprendi, das habilidades que acumulei.  É possibilidade, em sua mais pura e aterrorizante forma. Algo que estou definindo, descobrindo a cada dia que passa, a cada coisa que crio, a cada passo que dou.

Não sei o que quero fazer quando crescer. Mas sei o que faço agora, que posso aprender coisas novas a cada dia. E que mesmo com medo, posso seguir andando, e construindo minha realidade.

O que você quer ser quando crescer? – post originalmente publicado em 07 de junho de 2014

Essa pergunta me segue a vida toda. Já tentei responder de tantas maneiras, mas nenhuma das respostas foi a certa. Já quis ser artista, arquiteta, atriz, designer, publicitária, fotógrafa… Testei todas, mas nenhuma foi suficiente.

Tive 31 anos pra descobrir o que quero ser quando crescer. E adivinha: já cresci! E a pergunta ainda me persegue: o que quero ser quando crescer?

Aprendi uma coisa muito interessante e útil com a estatística: se não gosta da resposta, muda a pergunta.

Pois bem, estou mudando a pergunta. O que faço com a minha vida?

Ah, o alívio! Uma pergunta a menos pra me assombrar, porque essa eu posso responder.

Eu conto histórias. Desde pequena, tudo que faço tem que ter uma história por trás.

Lembro de ter uns 4 anos e estar brincando no meu quarto. A janela está aberta, o sol brilhando, e estou brincando com blocos de madeira. São cubos e triângulos pintados de laranja, azul e branco, com furos e cavilhas para encaixar as peças. Nessa lembrança, estou construindo um telefone antigo, e ao mesmo tempo contando histórias das pessoas que usarão o telefone, narrando suas conversas.

Certa vez, conversando com um amigo, contei uma piada. Não era muito engraçada, mas era uma tarde preguiçosa, estávamos nos curtindo, e contar piadas sem graça era algo a se fazer.

Ele disse que gostava de como eu contava piadas, e eu curiosa claro que perguntei porque. “Porque tu conta piadas como se fossem histórias de família.”

Da próxima vez que perguntarem o que faço, respondo que sou contadora de histórias.

Sobre empreendedorismo – post originalmente publicado em 10 de julho de 2014

Segundo o dicionário, empreender é resolver-se a praticar.

Por muito tempo, resolvi-me a praticar várias coisas, com o intuito de ganhar a vida. Como tenho uma formação ampla, explorei as diferentes capacidades que acumulei durante os anos. Foram várias tentativas, e em comum tiveram uma coisa: falharam. Ou eu falhei.

Em todas minhas tentativas anteriores, encarava o negócio como um “bico”, algo pra ajudar a pagar as contas enquanto me concentrava em outras coisas – faculdade, maternidade, pós graduação. Não as via como negócios, empresas, algo a ser construído.

Quando abri o studio, já tinha uma noção do que não havia dado certo, e do que poderia melhorar. Me decidi a ter um negócio próprio, ir além do “bico” pra pagar conta, construir uma empresa. Mas ainda não era o suficiente: me vi repetindo os mesmos erros do passado. E não sabia o que fazer para 1) conserta-los; 2) quebrar os (meus) padrões.

Uma coisa que já havia percebido é que, apesar de haver trabalhado em várias empresas, de diversos setores, não sabia como dirigir uma. Me posicionar como dona, chefe, tomadora de decisões. E principalmente, não sabia me posicionar como especialista no meu assunto (sou graduada em design e pós graduada em fotografia). Estou trabalhando nisso.

Outra coisa que percebi é que não tinha todas as ferramentas e conhecimentos que precisaria para tocar um negócio. Não sabia como gerir um negócio, pensar além do próximo trabalho, planejar estratégias para o futuro. E apesar de já haver trabalhado como diretora de arte em empresas de comunicação, meu conhecimento e experiência eram limitados a comunicar visualmente, uma peça apenas da grande engrenagem que é a comunicação publicitária – importantíssima para qualquer negócio.

Então, como boa empreendedora, resolvi-me a aprender.

Não lembro como fiquei sabendo do Negócio de Mulher. Comecei lendo os posts do blog, super interessantes e bem focados a empreendedoras. E um dia recebi um e-mail das meninas sobre um curso novo que estavam oferecendo, sobre empreendedorismo criativo. Me inscrevi na hora!

O curso tem sido maravilhoso, principalmente por dois motivos: conhecer mulheres que têm o mesmo nível de “loucura criativa” e inquietação que eu, e conhecer o meu eu empreendedora. Sim, porque todos os “bicos” foram, ao fim e a cabo, empreendimentos.

Tem sido muito importante ligar os pontinhos dessa jornada de 13 anos (ufa!) de “bicos” e empregos e formações aparentemente desconexas, e perceber que há uma linha conectando-os. Que graças a essa jornada maluca, tenho capacidades e conhecimentos complementares e úteis, que podem ajudar outras em suas jornadas. E, principalmente, aceitar que não preciso saber tudo para fazer o que faço. Posso me concentrar no que sei fazer, e pedir ajuda no que me falta (sou a irmã mais velha, se isso ajuda a entender).

Agora me sinto um pouco mais preparada para ser uma dona de negócio.

Regra Nº 1 do empreendedorismo: não tenha medo de falhar – post originalmente publicado em 19 de março de 2015

Essa é a mais difícil de todas, mas é a mais importante.

Quando abri a empresa, em 2012, não fazia ideia do que tava fazendo. Entendia bulhufas de negócios. Só sabia que precisava de algo meu, e que trabalharia com minhas duas paixões, fotografia e design.
Hoje, quase 3 anos depois, não só percebo meus sucessos, mas também meus erros, e posso tomar atitudes para corrigi-los. Sendo assim, decidi separar os serviços de fotografia e design. Ou melhor, agi sobre a decisão, que vinha me inquietando há tempos.

Por quê? Simples: negócios. Os públicos são diferentes, as estratégias comunicacionais são diferentes, e a cabeça da criatura é hoje diferente. Sinto que não conseguiria seguir adiante sem essa recalculada.

Recalculada sim. Não se trata de falhar, de não suceder. Até porque considero essa jornada um grande sucesso. Conheci pessoas maravilhosas, que me tocaram profundamente e me ajudaram a me tornar uma profissional – e pessoa – melhor. Pessoas essas que, inclusive, me ajudaram a ter a consciência e humildade de reconhecer que tudo que faço, posso fazer melhor.

Para isso, criei duas marcas novas: Bibiana Silveira Fotografia, e Bergamota Design. Cada uma com seu próprio público, sua própria comunicação, e sua própria página no Facebook. Ah, e o site da Bergamota é esse.

Então começo de novo. Do zero. Mas agora com muito mais consciência do que faço, e da identidade de cada marca. Aos que me apoiaram até aqui – muito obrigada! Não chegaria tão longe sem vocês. E se quiserem seguir apoiando, agradeço desde já.

Poisé

Voltando a esse post, que parece aleatório mas não é, explico: ele é uma colagem de alguns posts que escrevi durante e logo após o curso, quando estava me conhecendo empreendedora. Essa mistura de tudo e mais um pouco, que na época não fazia sentido nenhum pra mim, eventualmente deu lugar à Bergamota, e aqui estamos. Algumas coisas foram deixadas de lado, outras foram colocadas no armário pra esperar a hora certa, e outras viraram carro-chefe. Basicamente, o que é hoje não tem muito a ver com o que era no começo, mas tem tudo a ver com o que o começo poderia ser {?!? deu pra entender?}.

Então por que mostrar essa bagunça? Pra que tu entendas que o negócio dos teus sonhos não surge do dia pra noite, não é fácil, nem ordeiro, nem limpinho. É difícil, é suado, e é maravilhoso!

Custei a chegar aqui, mas acredito piamente que cheguei porque tive mulheres maravilhosas ao meu lado, dando pitaco, jogando conversa fora, e rindo. Demais. E é isso que te ofereço agora: a chance de fazer parte de um grupo incrível de mulheres empreendedoras, que não têm medo de dar a cara a tapa, de se revirar do avesso, e de ir atrás do seu sonho.

Pode parecer loucura, mas não é: o fato de ter outras por perto, que estão em situações similares, é um alívio, um conforto, e um presente. O que aprendi no curso – dentre muitas outras coisas – é que tudo fica menos difícil quando se tem companhia. E as mulheres que conheci durante o curso me ajudaram muito, muito mesmo, a chegar aqui. Fora que fiz amigas daquelas pra vida toda… E nada disso tem preço.

Então, qual o propósito dessa fala toda?

Simples, te convidar pra fazer parte do nosso grupo!

A Negócio de Mulher está lançando este mês as inscrições para a 5ª turma do curso Empreenda Sua Paixão – O curso online para empreendedoras com mente inquieta.

Uma experiência de transformação, com passo a passo para te reconectares com tuas paixões e habilidades e criar um negócio e vida que tu ames. Mais de 250 mulheres passaram por essa experiência desde julho de 2014 e tenho muito orgulho de ter acompanhado e hoje fazer parte deste movimento {participei da primeira turma!}.

Empreenda sua paixão + Bergamota | bergamotadesign.com

As inscrições vão até dia 30 deste mês mas se te inscreveres até dia 15/06 além do curso tu garantes um pacote de MEGA BÔNUS:

>> Brinde surpresa (kit surpresa do curso entregue para quem se inscreve com antecedência)

>> Mini-aula em vídeo Transforme seu blog em negócios

>> eBook Como Descobrir Minhas Paixões – o “Best Seller” 😉

>> Mini-aula em vídeo Como Sair do Mar de Mesmice, sobre técnicas para se destacar e diferenciar no mercado.

>> 20% de desconto para qualquer outro curso da Negócio de Mulher.

>> Euzinha, te ajudando durante teu processo, pra chorar, espernear, dar risada, e dar pitacos. Tá, deixa eu falar isso direito: pacote de consultoria comigo, para discutirmos a identidade do teu empreendimento, e fazer ele brilhar desde o começo! São quatro sessões via Skype, de 50min cada, a serem marcadas em horário que funcione pra nós duas. Durante essas sessões, vamos conhecer teu empreendimento, determinar a identidade dele, e descobrir a melhor maneira de mostra-lo pro mundo. Mas ó, esse último é presente meu, só vale pra compras feitas através do meu link, e depende da confirmação de pagamento.

Se te sentes preparada pra iniciar uma jornada de autoconhecimento e empreendedorismo, criar o próprio emprego dos sonhos e criar um negócio rentável aproveitando tudo o que tens de melhor, faz agora tua inscrição! O momento é agora:

Empreende logo tua paixão!!!

ps1.: Se queres conhecer as criadoras do curso melhor e ter um gostinho do conteúdo que elas trabalham, dá uma espiada na palestra online que elas fizeram e que tu podes assistir no link abaixo.

Assiste a palestra gratuita!

Quem ama, compartilha 😉
Quem escreveu

Bibiana

Facebook

Diva mor na Bergamota Design. Designer por formação. Mestranda por opção. Curiosa incurável. Stand up comic nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *